Pesquisar neste blog

domingo, 1 de novembro de 2015

O Valor da Recompensa

Tudo começou com um convite, acompanhado de uma provocação e embutido de um desejo de uma sensação gostosa de autonomia financeira.
Estigando o que cada um sabe fazer bem feito e com amor, fechamos a presença do grupo terapêutico: Acrescente Vida à sua Vida na festa junina do nosso território.
Fiz questão de frizar!
Gente não é assistencialismo não!
Temos o custo da barraca, os ingredientes, nossa mão de obra. Temos que arregaçar as mangas e cair dentro da produção.
Na proposta de extrair a identidade de cada sujeito; entre telas, mudas de temperos, culinária e decoração reciclada, começamos a elaborar o nosso espaço.
Qual será a nossa cara na festa?
Ensaios gastronômicos foram feitos, receitas degustadas e aprovadas, encontros na casa acolhedora da Edna foram feitos, entre sucos naturais, definimos o nosso cardápio, a nossa apresentação e os nossos preços.
Chegou o dia da Estréia!
Lá estávamos nós! Com uma barraca cheia de significados e com uma boa parte do grupo na ativa, entre vendas, caixa e entregas.
No final de tudo, uma gostosa surpresa!
Tivemos lucro!
Que sensação boa!
Agora o que fazer?
A maioria ganhou! Zoológico com piquenique.
Novamente produção de comidas saudáveis, na casa acolhedora da Edna, divisão do dinheiro e lá fomos nós.
Que dia encantador!
Tantos animais interessantes, quando nos deparamos com o Urso que mantinha um movimento repetitivo estranho, para frente e para trás e balançava a cabeça no portão de um lado para o outro.
Me surpreendi com a fala de um usuário: Deve ser um tipo de psicose; a outra complementa: Deve estar fazendo terapia.....
Nisso, a gente ver um banner com a explicação:
Ele está em tratamento, sofreu maus tratos, foi mau alimentado, ficou em um local de 2 m2, e foi condicionado a fazer esse movimento para se apresentar no circo, para a alegria de uma platéia que não tem a menor idéia do que estava por trás daquela apresentação, no sofrimento que o animal passa para nos fazer sorrir.
O mais interessante foi a percepção dos usuários do grupo, para além do movimento condicionado, conseguiram enxergar um sofrimento psquíco, através da mão do homem, deixando o animal muito longe da sua essência, do seu meio e despotencializando aquele grande animal.
Não é psicose! É simplesmente maus tratos, e como isso reverbera em todos nós!

Mariana Zogaib
CRN-4:10101434


sábado, 3 de outubro de 2015

Mariana do Pão da Mata

10 anos se passaram mas a referência continua viva e latente.
Engajada no movimento agroecológico e sustentável de compras coletivas e solidárias, que estão tomando cada vez mais força em Vargem Grande; Estava eu em uma reunião de acolhida da rede ecológica e da cesta verde VG, quando rostos conhecidos foram chegando e se acomodando. Todos estavam muito atentos e interessados em como se beneficiar e beneficiar o outro, além de poder contribuir nessa linda rede de cooperação e solidariedade.
Acolhida, Alimento, Agroecologia, Rede, Cooperação e Vargem Grande: Tudo isso têm a ver com lanche coletivo, Saudável e Colorido.
Todos nós estávamos em volta do bolo e entre germinados, quando uma moça pergunta:
Você que tinha aquela loja de produtos naturais aqui em Vargem Grande?
Alguém respondeu....Sim, o Pão da Mata.
Enquanto isso, outro também entrou na conversa.
É a Mariana do Pão da Mata.
Depois desses anos todos, ainda ser a Mariana do Pão da Mata é uma honra e um grande orgulho.
Eis que a pessoa chega para mim e fala:
Se é você que está falando, que está apresentando a rede, eu vou entrar!
Porque você passa credibilidade e seriedade.
Se você está falando que é bom, orgânico e certificado, eu acredito!
Nossa!!
Ganhei meu sábado e todos os outros dias da semana.
Confesso que uma lágrima se formou e uma sensação indescritível de plenitude invadiu meu peito por completo.
Isso só veio reafirmar os meus princípios: A partir de trabalho duro, dedicação, comprometimento e amor, somos reconhecidos e nos diferenciamos na multidão.
Ela retorna e fala que sempre ia lá com o marido e o cachorro.
Sua filha completa:
E aquele pão? E aquela torta de banana? Era tudo tão gostoso lá! Você começou a falar e eu reconheci a sua voz.
Sim, eu sou a Mariana do Pão da Mata! E isso constrõe a cada dia a Nutricionista que eu sou hoje.
Lá do fundo, escutei uma voz:
Que pena que fechou! Você pensa em abrir outro Pão da Mata?
Em estado contemplativo e vivendo a sensação de plenitude, Mariana do Pão da Mata se despede de todos deixando essa resposta no ar....
Imensa gratidão por esse reconhecimento tão sincero.

Mariana Zogaib
CRN-4-10101434.


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Tecendo a Rede

Procurando entender a integralidade do sujeito e a sua complexidade, como está sendo fantástico investir na proposta da clínica peripatética, com o seu espírito inovador. Explorando o território, com andanças pela cidade e fortalecendo laços com os parceiros, como isso está fazendo emergir a essência de cada participante do grupo, que muitas vezes vem acompanhado de seu familiar, normalmente são mães, que se superam a cada dia, que apostam no seu filho, que vibram com suas conquistas e avanços, que enxergam naquele indivíduo, uma fagulha de vida, de história e de resgate. Isso é lindo de ver e de poder contribuir, nos deparamos com situações inversas também, filhas acompanhando mães, na mesma proposta de enxergar para além de um diagnóstico, reascender a vida plena que cada um carrega dentro de si.
Caminhando, Cantando, Cozinhando e se Organizando, profissionais e usuários, todos juntos dentro dessa proposta de inovação e de desconstrução, para se conectar dentro da sua própria essência.
Mariana Zogaib
CRN-4-10101434.